quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Silêncio!



É uma coisa que me dói muito, esses seus silêncios. Sei - claro - que você deve ter problemas bastante sérios, mas uma carta de vez em quando não custa nada e, às vezes - quem sabe? Talvez a gente pudesse ajudar. Penso, com mágoa, que o relacionamento da gente sempre foi unilateral, sei lá, não quero ser injusto nem nada - apenas me ferem muito esses teus silêncios. A sensação que tenho é que você simplesmente não está muito afim - e cada vez que tomo a iniciativa de escrever é sempre meio tolhido, sem naturalidade, com medo de incomodar, de ser indesejável. Não é uma coisa agradável. Seja como for, continuo gostando muito de você - da mesma forma -, você está quase sempre perto de mim, quase sempre presente em memórias, lembranças, estórias que conto às vezes, saudade. E se é verdade que o tempo não volta, também deveria ser verdade que os amigos não se perdem.
.
Substituímos expressões fatais como “não resistirei” por outras mais mansas, como “sei que vai passar”. Esse é o nosso jeito de continuar."

2 comentários:

  1. Lindo seu texto, me parece uma carta para alguém muito estimado seu...

    Bjs

    Mila

    ResponderExcluir
  2. OOooi, vi que você está me seguindo! ;p
    Obrigada!!!
    Por falar nisso, também vou seuir seu blog e at´ja li um texto... E eu simplismente ameei!
    Voltarei aqui sempre que der! Beijinhos e parabéns!

    ResponderExcluir