segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Pode invadir,

ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas.. permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituosa, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Seja mais forte que eu e menos altruísta! Gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Não seja escrava minha, nem filha minha, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.
Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça um louco bom. Goste de música e de sexo. Goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra missa, apresentar sua família.. Isso a gente vê depois.. se calhar. Quero ver você nervosa, inquieta. Olhe para outros caras, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos.. me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Rapte-me! Se nada disso funcionar, experimente me amar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário